Tradutor

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Minha mãe era uma mãe nua.

Por: nothingbuttasmile


Lembro-me que quando eu era mais jovem, a minha mãe andava nua várias vezes, desde que não houvesse nenhum convidado. Ela não estava nua o tempo todo, mas bastantes vezes. Como quando o tempo estava quente, poderíamos muitas vezes encontrá-la na sua cama deitada de barriga para baixo a ler um livro, sem qualquer peça de roupa e com a porta aberta. Quando ela tomava banho, ela se secava na casa de banho e, em seguida, andava pela casa nua sem se vestir por algum tempo, cozinhando, limpando, e fazendo tudo nua. E, quando a minha irmã e eu precisávamos dela para nos ajudar a tomar banho, ela sempre ficava nua também, mesmo que ela não entrasse na banheira.
Ela também dormia sem roupa sempre, mesmo quando a minha irmã ou eu tínhamos um pesadelo e queríamos dormir na sua cama. E quando ela vinha nos aconchegar à noite e dar-nos um beijo, ela era geralmente vinha nua. Logo, de manhã ela descia as escadas e tratava do nosso pequeno-almoço, nua. Eu não posso dizer quantas vezes eu descia as escadas de manhã com o cheiro do bacon e via a minha mãe nua atrás do fogão.
Alguns dos seus amigos mais próximos também a viam nua, porque eu tenho memória de uma mulher,
Sandy, que era amiga da minha mãe, e a minha mãe abria a porta de casa, para ela, nua. Realmente, eu nunca pensei que isso era estranho, eu sempre achei que era uma coisa natural que todas as mães faziam.
Lembro-me de uma ocasião específica, quando o meu pai lhe pediu, antes de ele sair para o trabalho, para ela aspirar a casa. Assim que ele saiu, a minha mãe começou a tirar a roupa. Eu tinha uns 7 ou 8 anos de idade e perguntei: "Mãe, porque é que você sempre fica nua quando aspira a casa?" Ela olhou para mim, sorriu e disse: "Bem Jayne, isso é porque, ficar nua torna as tarefas domésticas chatas mais divertidas!" E eu perguntei-lhe como é que fazia isso, e ela disse que me ia mostrar, mas que eu tinha que ficar nua também. Eu disse que tudo bem e despi-me, e ela andou comigo pela casa a fazer as tarefas domésticas. Ela até me disse que poderia ir lá fora regar as flores se eu prometesse não contar ao pai. Ele não se importava com a sua escolha de andar nua o tempo todo, mas ele não queria que ela fosse para o jardim ou que convencesse a mim ou à minha irmã a andar pela casa com a roupa com que nascemos. Minha mãe não ligava muito a essas regras do meu pai, porque algumas vezes a vi a bronzear-se no jardim, e eu tirava a roupa tantas vezes como ela. Até fico surpreendida como o meu pai nunca desconfiou que ela andasse nua fora da casa, dado que o seu rabo era tão bronzeado como o resto.
Então lá fomos nós lá fora regar as plantas e apanhar sol por um pouco. Mas depressa ela disse que tínhamos que ir para dentro ou alguém nos podia ver. Perguntei-lhe por que é que isso era mau e ela disse que, apesar de estar nu ser divertido, não devemos deixar que outras pessoas nos vejam sem roupa, a menos que eles sejam amigos muito próximos ou familiares. Essa foi a sua maneira de me explicar como nudez realmente era para que eu simplesmente não me despisse no meio da escola só porque podia estar morta de tédio. Perguntei-lhe se eu podia ficar nua sempre que eu quisesse, como ela. Ela disse que sim, enquanto estava em casa e quando ninguém nos visitava.
A minha mãe e eu desenvolvemos então uma união por causa disso, já que a minha irmã (3 anos mais velha) não gostava de ficar nua. Nós duas fizemos muitas coisas nuas. Quando tivemos uma piscina ela ensinou-me a nadar estando as duas nuas dentro de água. Mas, eu e a minha irmã ficámos mais velhas e o meu pai quis que ela parasse com isto. Minha irmã tinha 15 anos e eu tinha 12 anos e ele disse que eramos muito velhas para andarmos pela casa com a nossa mãe sem roupas. Minha irmã concordou com ele porque ela se sentia desconfortável. A minha mãe recusou no início, mas, eventualmente, ele a convenceu e eu deixei de ter permissão para ficar nua. Eu fiquei triste por isso, mas tudo bem, até porque o meu corpo estava a mudar e
eu sentia-me algo estranha. Mais tarde a minha mãe mudou e passou a ver as coisas mais da maneira dele, até porque ficou mais velha e acho que ela já não se sentia bem com o seu corpo porque ela parou de vez de ficar nua. Eu, obedeci-lhes e mantive-me vestida até cerca dos meus 16 anos. A idade rebelde. Nessa altura eu comecei a fazer todas as coisas que a minha mãe costumava fazer. Muito com a desaprovação do meu pai, mas ele não me podia parar. A minha mãe agia como se ela não me quisesse nua pela casa, mas eu sei que ela sorria quando me via nua, pois a lembrava quando ela era jovem.
Eu poderia citar inúmeras outras vezes em que ela andava despida pela casa. Eu me lembro de nós os três (eu, minha irmã, e ela) costumávamos ver filmes juntas todas as sextas-feiras. Às vezes, ela via o filme com roupas vestidas, e outras vezes ela apenas se sentava no sofá ao nosso lado, completamente nua. Pequenas histórias como esta fizeram-me crescer num ambiente de aceitação da nudez, e é por isso que eu adoro estar nua e estou aqui agora sentada a escrever este texto, sem roupa nenhuma. Isso, e meu pai tentando restringir a minha liberdade durante esses anos rebeldes, é que fez que eu fosse a maravilhosa rapariga nua e carinhosa que eu sou hoje. Devo tudo à minha mãe, que andava nua. Eu amo a minha mãe nua e espero um dia eu própria ser uma mãe nua também.

Tradução livre casaisnudistas

2 comentários:

  1. Eu adoro andar nu pela casa no jardim na piscina, lavando o carro enfim em todo lugar possivel
    E uma sensação magica.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar